Alimentação e desempenho mental, entenda

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Alimentos são o combustível do nosso corpo. Quando utilizamos um combustível ruim e adulterado, estamos aumentando as chances de falha e danos ao nosso veículo chamado corpo humano. Entendemos que alimentação deve ser a base de tudo, mas será que realmente estamos fazendo-a da maneira correta? O que mais um estudante precisa para ter sucesso em seus objetivos? Foco, concentração e disposição. Alimentos ricos em açúcares em geral, não só os de sabor doce, mas também os que contém açúcar de outras formas, como pães e massas, biscoitos, bolachas e até barrinhas de cereais agem no seu metabolismo ativando hormônios e neurotransmissores que irão diminuir o seu foco e atenção.

A insulina, hormônio responsável por metabolizar a glicose que foi ingerida, quando tem seus níveis diminuídos após um grande estímulo, apresenta-se com sintomas de sono e lentificação do pensamento, o qual irá prejudicar o desempenho acadêmico. Outro importante fator é a dopamina, neurotransmissor responsável por mantermos o aprendizado e a concentração. Ao ingerirmos carboidratos refinados (pães, macarrão, doces, sucos, refrigerantes, leite de vaca, etc), este neurotransmissor age desreguladamente, favorecendo ao déficit de atenção e aprendizado. Um grande vilão para estudantes é o glutamato monossódico, que está presente em alimentos industrializados. Este tipo de aditivo químico age via sistema nervoso central e também reduz o foco e atenção.

Fique sempre atento à alimentos industrializados, pois a maioria contém açúcar e conservantes que serão prejudiciais ao seu aprendizado, foco e disposição.
Para um bom aprendizado podemos otimizar as funções cerebrais, mantendo excelentes níveis sanguíneos de magnésio, zinco, folato, metilcobalamina, vitamina B6, vitamina D, além de otimizar a produção de neurotransmissores, que deverão ser realizados de forma personalizada a depender de cada caso. Outro excelente otimizador cerebral é o ácido docosahexaenóico (DHA), um ácido graxo poli-insaturado ômega 3.

Idealmente alimente-se de alimentos mais naturais, evitando alimentos processados e refinados. Utilize mais gordura saudável como fonte de energia e menos carboidratos refinados. O seu corpo será mais saudável e seu cérebro mais atuante.